Herculano

Disambig grey.svg Nota: Para o atual município italiano, veja Ercolano. Para outros significados, veja Herculano (desambiguação).
Pix.gif Áreas arqueológicas de Pompeia, Herculano e Torre Annunziata *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Cardo V de Herculano.jpg
País  Itália
Critérios iii, iv, v
Referência 829
Região** Europa
Histórico de inscrição
Inscrição 1997  (21.ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

Herculano (em latim: Herculaneum e em italiano: Ercolano) era uma cidade antiga, localizada na comuna moderna de Ercolano, Campânia, Itália. Herculano foi enterrada sob cinzas vulcânicas e pedra-pomes na erupção de 79 d.C. do Monte Vesúvio.

Como a cidade vizinha de Pompeia, Herculano é famosa como uma das poucas cidades antigas a ser preservada mais ou menos intacta, pois as cinzas que cobriam a cidade também a protegiam contra saques e intempéries. Embora menos conhecida hoje do que Pompeia, foi a primeira e por muito tempo a única cidade enterrada do Vesúvio a ser encontrada (em 1709), enquanto Pompeia só foi revelada a partir de 1748 e identificada em 1763.[1] Ao contrário de Pompeia, o material principalmente piroclástico que cobria Herculano carbonizou e preservou mais madeira em objetos como telhados, camas e portas, além de outros materiais de base orgânica, como alimentos e papiros.[carece de fontes?]

A história tradicional é que a cidade foi redescoberta por acaso em 1709, durante a escavação de um poço. Remanescentes da cidade, no entanto, já haviam sido encontrados durante trabalhos de terraplanagem anteriores.[2] Nos primeiros anos após sua redescoberta, túneis foram cavados no local por caçadores de tesouros e muitos artefatos foram removidos. As escavações regulares começaram em 1738 e continuaram desde então, embora de forma intermitente. Hoje, apenas parte do local antigo foi escavado, e a atenção e os fundos mudaram para a preservação das partes já escavadas da cidade, em vez de se concentrar na descoberta de mais áreas.[carece de fontes?]

Embora fosse menor que Pompeia, com uma população de até 5 mil habitantes,[3] Herculano era uma cidade mais rica.[4] Era um refúgio popular à beira-mar para a elite romana, o que se reflete na extraordinária densidade de casas grandiosas e luxuosas com, por exemplo, um uso muito mais luxuoso de revestimento de mármore colorido. Edifícios famosos da cidade antiga incluem a Vila dos Papiros e as chamadas "casas de barco", nas quais foram encontrados os restos mortais de pelo menos 300 pessoas.[carece de fontes?]

Referências

  1. Ozgenel, Lalo (15 April 2008). "A Tale of Two Cities: In Search of Ancient Pompeii and Herculaneum". Journal of the Faculty of Archaeology. 2008, Ancara: Middle East Technical University. 25 (1): 1–25. http://jfa.arch.metu.edu.tr/archive/0258-5316/2008/cilt25/sayi_1/1-25.pdf
  2. Wallace-Hadrill, Andrew (2011). Herculaneum: Past and Future. ISBN 978-0-7112-3142-9. p47
  3. De Ligt et al. (2012). The Album of Herculaneum and a model of the town’s demography. Journal of Roman Archaeology, 25, 69-94. doi:10.1017/S1047759400001148
  4. Wallace-Hadrill, Andrew (2011). Herculaneum: Past and Future. ISBN 978-0-7112-3142-9. p. 55
Ícone de esboço Este artigo sobre Roma Antiga e o Império Romano é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.