Zhang Zhan

Zhang Zhan
Nascimento 2 de setembro de 1983
Xianyang
Cidadania China
Alma mater
  • Southwestern University of Finance and Economics
Ocupação advogado, citizen journalist
Prêmios
  • Difference Day Honorary Title for Freedom of Expression (2021)

Zhang Zhan (Xianyang, 2 de setembro de 1983) é uma advogada e jornalista cidadã chinesa que foi condenada a quatro anos de prisão por suas reportagens durante a pandemia COVID-19. Zhang Zhan foi presa na China acusada pelo governo chinês de "espalhar notícias falsas e desrespeitar protocolos sanitários".[1][2][3]

Jornalismo[editar | editar código-fonte]

Zhang viajou de Xangai a Wuhan para cobrir a pandemia COVID-19.[4][5] Zhan gravou para o YouTube vídeos de ruas vazias, hospitais sobrecarregados, entrevistas com residentes, comentários e filmagens de um crematório, estações de comboio, e do Instituto de Virologia de Wuhan.[6] De acordo com Zhang, os crematórios em Wuhan funcionavam dia e noite, durante um período em que a mídia estatal afirmava que a pandemia estava sob controle.[7]

Prisão[editar | editar código-fonte]

Detenção[editar | editar código-fonte]

Zhang foi detida pela polícia no dia 14 de maio de 2020 e transportada de volta para Xangai. Ela foi presa sem ser acusada formalmente até novembro. Zhan é uma dos vários jornalistas, incluindo Li Zehua, Chen Qiushi e Fang Bin, que desapareceram ao mesmo tempo.[4][8][9]

De acordo com o advogado de defesa Ren Quanniu, Zhang foi torturada por três meses antes da sentença e mantida algemada 24 horas.[10] Zhan está em greve de fome desde junho de 2020 e está sendo alimentada à força por uma sonda, com as mãos atadas para evitar que ela o remova.[11][12]

O advogado ainda a descreveu como muito fraca, "Além da dor de cabeça, tontura e dor de estômago, também havia dor na boca e na garganta. Ela disse que isso pode ser uma inflamação devido à inserção de uma sonda gástrica."[4][12]

Julgamento e sentença[editar | editar código-fonte]

Ela foi acusada de provocar brigas e causar problemas, e condenada a quatro anos de prisão. Segundo o jornal The Guardian, "é uma acusação que o governo chinês costuma usar para prender oponentes".[13] A sentença acusava Zhang de falar com a mídia estrangeira, como Radio Free Asia e The Epoch Times, e espalhar informações falsas sobre a pandemia COVID-19 em Wuhan.

Zhang também foi acusada de inventar dois itens em seu relatório de Wuhan; que os residentes foram forçados a pagar uma taxa para fazer os testes de COVID-19 e que os residentes confinados em suas casas receberam verduras podres dos comitês de bairro. Zhang admitiu todos os fatos materiais do caso, mas se recusou a se confessar culpada e disse que suas informações não eram falsas.[14]

Apoiadores e um diplomata britânico foram impedidos de entrar no tribunal durante o julgamento, que durou menos de três horas no total.[4][15][16] Ela foi condenada por um tribunal de Xangai a quatro anos de prisão, o que a torna a primeira jornalista a ser condenada por relatar a pandemia na China.[5][17][18]

Reações[editar | editar código-fonte]

A embaixada britânica em Pequim disse que o seu caso "levanta sérias preocupações sobre a liberdade da mídia na China" e que ela "é um dos pelo menos 47 jornalistas atualmente detidos na China." O paradeiro de outros jornalistas cidadãos - incluindo Chen Qiushi e Fang Bin - é desconhecido."[5] Em dezembro de 2020, a UE exigiu sua libertação.[19] De acordo com a Amnesty International, "jornalistas cidadãos são uma das únicas fontes de informação não censurada sobre a pandemia na China, no entanto, são muito poucos devido à negação de credenciais para eles".[10]

Em uma carta conjunta ao líder chinês Xi Jinping postada em 17 de setembro de 2021, uma coalizão de 45 organizações não governamentais, incluindo o Repórteres sem Fronteiras (RSF), pediu que Zhang fosse libertada de forma "imediata" devido ao seu estado de saúde. O chefe da sucursal da RSF na Ásia Oriental, Cédric Alviani, afirmou que Zhang "nunca deveria ter sido presa, muito menos submetida a uma dura sentença de prisão."[20]

Em novembro de 2021, a RSF anunciou Zhang como indicada ao prêmio de liberdade de imprensa da organização por coragem, em reconhecimento ao seu trabalho jornalístico,[21] sendo anunciada como a destinatária uma semana depois.[22]

Referências

  1. «Jornalista é condenada a quatro anos de prisão na China por filmar início da pandemia em Wuhan». G1. Consultado em 23 de setembro de 2021 
  2. «Blogueira chinesa foi julgada por violar regras sanitárias, não por fazer jornalismo». Brasil de Fato. Consultado em 11 de setembro de 2021 
  3. «Chinese citizen journalist detained for reporting on Wuhan coronavirus outbreak "may not survive"». www.cbsnews.com (em inglês). Consultado em 11 de setembro de 2021 
  4. a b c d «Zhang Zhan: China jails citizen journalist for Wuhan reports». BBC News (em inglês). 28 de dezembro de 2020. Consultado em 29 de dezembro de 2020 
  5. a b c CNN, CNN (29 de dezembro de 2020). «Chinese journalist who documented Wuhan coronavirus outbreak jailed for 4 years». CNN. Consultado em 4 de janeiro de 2021 
  6. Staff, Reuters (28 de dezembro de 2020). «China jails citizen-journalist for four years over Wuhan virus reporting». Reuters (em inglês). Consultado em 29 de dezembro de 2020 
  7. News, Taiwan. «Chinese journalist prosecuted for reporting on Wuhan outbreak | Taiwan News | 2020/06/24». Taiwan News. Consultado em 29 de dezembro de 2020 
  8. Wang, Vivian (26 de dezembro de 2020). «She Chronicled China's Crisis. Now She Is Accused of Spreading Lies.». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 29 de dezembro de 2020 
  9. Board, Editorial. «Opinion | What is China trying to hide about the coronavirus?». Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286. Consultado em 29 de dezembro de 2020 
  10. a b «Covid-19 journalist tortured for exposing truth». www.amnesty.org.uk. Consultado em 29 de dezembro de 2020 
  11. Welle (www.dw.com), Deutsche. «Jornalista chinesa é condenada por cobertura da pandemia em Wuhan | DW | 28.12.2020». DW.COM. Consultado em 25 de fevereiro de 2021 
  12. a b «Citizen journalist detained over Wuhan reporting 'restrained and fed by tube'». the Guardian (em inglês). 10 de dezembro de 2020. Consultado em 29 de dezembro de 2020 
  13. Davidson, Helen (16 de novembro de 2020). «Citizen journalist facing jail in China for Wuhan Covid reporting». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077. Consultado em 29 de dezembro de 2020 
  14. «Chinese Lawyer-Turned-Citizen Journalist Gets Four Years For Wuhan Posts». Radio Free Asia (em inglês). Consultado em 25 de fevereiro de 2021 
  15. Qi, Grace. «Chinese citizen journalist Zhang Zhan sentenced for reporting early on COVID in Wuhan». CBS News 
  16. «Chinese court jails citizen journalist Zhang Zhan for Wuhan reports». The Irish Times (em inglês). Consultado em 29 de dezembro de 2020 
  17. Wang, Vivian (28 de dezembro de 2020). «Chinese Citizen Journalist Sentenced to 4 Years for Covid Reporting». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 29 de dezembro de 2020 
  18. «China jails citizen journalist for four years over Wuhan coronavirus reports». South China Morning Post (em inglês). 28 de dezembro de 2020. Consultado em 29 de dezembro de 2020 
  19. «EU fordert die sofortige Freilassung von chinesischer Journalistin». www.t-online.de (em alemão). Consultado em 25 de fevereiro de 2021 
  20. Sophia Yang (21 de setembro de 2021). «45 NGOs urge China to immediately free journalist who reported on COVID». Taiwan News. Consultado em 19 de novembro de 2021 
  21. Helen Davidson (8 de novembro de 2021). «Jailed Wuhan journalist Zhang Zhan nominated for RSF press freedom award». The Guardian. Consultado em 19 de novembro de 2021 
  22. Thomas Latschan (18 de novembro de 2021). «Winners of the 2021 Press Freedom Awards unveiled». Deutsche Welle. Consultado em 19 de novembro de 2021