Dom Phillips

Dom Phillips
Line-style-icons-newspaper.svg
Nascimento 23 de julho de 1964
Merseyside, Inglaterra
Morte 5 de junho de 2022 (57 anos)
Atalaia do Norte, Amazonas
Ocupação Jornalista
Escritor
Trabalhos notáveis The Guardian

Dominic Mark Phillips[1] (Bebington, 23 de julho de 1964[2]Atalaia do Norte, 5 de junho de 2022)[3][4] foi um jornalista britânico. Trabalhou escrevendo para os jornais Washington Post, The New York Times e Financial Times.[5]

Morou no Brasil de 2007 a 2022, quando desapareceu e foi morto junto com o indigenista Bruno Araújo Pereira, no Vale do Javari.[5]

Infância e educação[editar | editar código-fonte]

Phillips nasceu em 23 de julho de 1964, em Bebington, Cheshire. Ele tinha uma irmã e um irmão.[4] Ele estudou na faculdade em Liverpool, mas saiu sem diploma para viajar pelo mundo, morando em Israel, Grécia, Dinamarca e Austrália.[4][6]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Phillips montou The Subterranean, um fanzine de curta duração, com Neil Cooper no início dos anos 1980.[6] Na década de 1990, Phillips escreveu e editou para a revista britânica Mixmag, onde cunhou o termo "house progressivo".[7]

Phillips morava no Brasil desde 2007.[8][7] Em 2009, ele publicou Superstar DJs Here We Go!: The Rise and Fall of the Superstar DJ, uma história de vanguarda da cultura club dos anos 1990.[9][6]

Phillips escreveu sobre política, pobreza e desenvolvimento cultural no Brasil. Ele contribuiu para o The Washington Post de 2014 a 2016, onde cobriu os preparativos do Brasil para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Ele também informou sobre o desmatamento no Brasil, liderando uma investigação do The Guardian sobre fazendas de gado de grande escala estabelecidas em terras de floresta desmatada. Phillips também contribuiu para o Financial Times, Bloomberg News e revistas sobre futebol.[4]

Em junho de 2020, Phillips esteve na região do Vale do Javari, pesquisando um livro sobre desenvolvimento sustentável por lá. Ele havia recebido uma bolsa da Fundação Alicia Patterson para escrever o livro e pretendia terminá-lo até o final do ano[10]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Phillips casou-se com Alessandra Sampaio, uma brasileira.[11] Morou em São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador.[4]

Assassinato[editar | editar código-fonte]

Dom Philips e Bruno Pereira.png

Em 5 de junho de 2022, o indigenista brasileiro Bruno Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips foram assassinados durante uma viagem pelo Vale do Javari, segunda maior terra indígena do Brasil, no extremo-oeste do Amazonas.[12]

Bruno e Dom visitaram o Lago do Jaburu, uma localidade próxima da Base de Vigilância da Fundação Nacional do Índio (Funai) no rio Ituí, para entrevistar indígenas e ribeirinhos para um livro sobre a Amazônia.[13][14][15] Mais tarde, com a expedição praticamente concluída, eles se deslocaram para a comunidade São Rafael, onde fariam uma reunião com um pescador local.[13] O crime ocorreu no trajeto entre a comunidade e o município de Atalaia do Norte.[14] Após 10 dias de buscas, um dos suspeitos presos pela Polícia Federal (PF) confessou o envolvimento nos assassinatos e indicou a localização dos corpos.[16][17] Os restos mortais encontrados foram levados a Brasília,[18] periciados e confirmados como pertencentes a Bruno Pereira[19][20] e Dom Phillips.[21][22]

O crime gerou repercussão na imprensa internacional[23][24][25] e críticas ao enfraquecimento de instituições ambientais promovido pela gestão de Jair Bolsonaro.[26][27] O governo brasileiro reagiu tarde ao desaparecimento e não adotou medidas de buscas suficientes.[28][29][30][31]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • PHILLIPS, DOM (2009). Superstar DJs here we go!: the rise and fall of the superstar DJ. Londres: Ebury. 384 páginas. ISBN 9781407026954. OCLC 867134442 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. BRANDT, Ricardo (15 de junho de 2022). «Tríplice fronteira: região de crime é dominada por facções e vive sob tensão». SBT News. Consultado em 16 de junho de 2022. Cópia arquivada em 16 de junho de 2022 
  2. SCHUDEL, Matt; MCCOY, Terrence (17 de junho de 2022). «Dom Phillips, journalist who chronicled Amazon deforestation, is dead at 57». The Washington Post (em inglês). Consultado em 17 de junho de 2022. Cópia arquivada em 17 de junho de 2022 
  3. RIBEIRO, Victor (18 de junho de 2022). «Bruno Pereira e Dom Phillips morreram vítimas de tiros». Agência Brasil. Consultado em 26 de junho de 2022. Cópia arquivada em 26 de junho de 2022 
  4. a b c d e Schudel, Matt (18 de junho de 2022). «Dom Phillips, journalist who chronicled Amazon deforestation, is dead at 57». The Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286. Consultado em 19 de junho de 2022 
  5. a b «Dom Phillips: saiba quem é o jornalista inglês dado como desaparecido no Amazonas». G1. 6 de junho de 2022. Consultado em 13 de junho de 2022. Cópia arquivada em 9 de junho de 2022 
  6. a b c Cooper, Neil (16 de junho de 2022). «Dom Phillips – The Subterranean». bellacaledonia.org.uk. Consultado em 19 de junho de 2022 
  7. a b Nicas, Jack; Ionova, Ana; Spigariol, André (8 de junho de 2022). «Threats, Then Guns: A Journalist and an Expert Vanish in the Amazon». The New York Times 
  8. «Bodies found in Amazon feared to be Wirral journalist and Brazilian expert». Wirral Globe (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2022 
  9. «The British journalist was on a reporting trip with Bruno Araújo Pereira in one of the rainforest's remotest zones». Ra.co. 7 de junho de 2022 
  10. «Brazilian police say 'no evidence of crime' in search for missing journalist». The Guardian. 8 de junho de 2022 
  11. «Dom Phillips: Wife says 'we can say goodbye with love' after journalist's body found in Amazon». Sky News 
  12. Fontes incluem, mas não se limitam a
  13. a b «Dom Phillips estava escrevendo um livro sobre a Amazônia; Bruno Pereira auxiliava o jornalista». Jornal Nacional. 16 de junho de 2022. Consultado em 17 de junho de 2022. Cópia arquivada em 17 de junho de 2022 
  14. a b Narley Resende (16 de junho de 2022). «Mapas mostram trajeto feito por criminosos após morte de Bruno e Dom». Rede Bandeirantes. Consultado em 16 de junho de 2022. Cópia arquivada em 17 de junho de 2022 
  15. Ana Luiza Albuquerque (9 de junho de 2022). «Entenda o que se sabe sobre desaparecimento de indigenista e jornalista no AM»Subscrição paga é requerida. Folha de S.Paulo. Consultado em 10 de junho de 2022. Cópia arquivada em 13 de junho de 2022 
  16. Tainá Andrade (16 de junho de 2022). «Caso Bruno e Dom: o trágico fim de defensores da Amazônia». Correio Braziliense. Consultado em 17 de junho de 2022. Cópia arquivada em 17 de junho de 2022 
  17. «Bruno Pereira e Dom Phillips: a cronologia do caso, desde o início da viagem». G1. 15 de junho de 2022. Consultado em 17 de junho de 2022. Cópia arquivada em 16 de junho de 2022 
  18. Julia Duailibi (16 de junho de 2022). «Caso Bruno e Dom: Avião com restos mortais chega a Brasília na noite desta quinta». G1. Consultado em 17 de junho de 2022. Cópia arquivada em 16 de junho de 2022 
  19. Vladimir Netto (18 de junho de 2022). «PF confirma que restos mortais encontrados na Amazônia são do indigenista Bruno Pereira». G1. Consultado em 19 de junho de 2022. Cópia arquivada em 19 de junho de 2022 
  20. Mirelle Pinheiro; Carlos Carone (18 de junho de 2022). «PF confirma que restos mortais encontrados são de Bruno Pereira». Metrópoles. Consultado em 19 de junho de 2022. Cópia arquivada em 19 de junho de 2022 
  21. Naiara Galarraga Gortázar (17 de junho de 2022). «La policía confirma que uno de los fallecidos en la Amazonia es el periodista británico Dom Phillips». El País (em espanhol). Consultado em 17 de junho de 2022. Cópia arquivada em 18 de junho de 2022 
  22. Vladimir Netto; Mara Puljiz (17 de junho de 2022). «Perícia da PF confirma que restos mortais encontrados na Amazônia são do jornalista Dom Phillips». G1. Consultado em 17 de junho de 2022. Cópia arquivada em 18 de junho de 2022 
  23. «Desaparecimentos de Bruno e Dom geram repercussão na imprensa internacional». CNN Brasil. 16 de junho de 2022. Consultado em 17 de junho de 2022. Cópia arquivada em 18 de junho de 2022 
  24. «'Coração despedaçado': Imprensa internacional repercute caso Dom e Bruno». Veja. 16 de junho de 2022. Consultado em 17 de junho de 2022. Cópia arquivada em 17 de junho de 2022 
  25. «Morte de Dom e Bruno repercute na imprensa internacional». Terra. 16 de junho de 2022. Consultado em 17 de junho de 2022. Cópia arquivada em 16 de junho de 2022 
  26. «Enfraquecimento da Funai agrava violência a indígenas e servidores». Extra. 12 de junho de 2022. Consultado em 17 de junho de 2022. Cópia arquivada em 13 de junho de 2022 
  27. «O que o desaparecimento de Bruno Pereira e Dom Phillips revela sobre disputas na Amazônia»Subscrição paga é requerida. O Globo. 14 de junho de 2022. Consultado em 17 de junho de 2022. Cópia arquivada em 15 de junho de 2022 
  28. «Brazil: Authorities must not waste another second in search for Dom Phillips and Bruno Pereira» (em inglês). Anistia Internacional. 9 de junho de 2022. Consultado em 10 de junho de 2022. Cópia arquivada em 9 de junho de 2022 
  29. Pepita Ortega (8 de junho de 2022). «Justiça aponta 'omissão' do governo federal e manda reforçar buscas por Dom Phillips e Bruno Pereira». Terra. Consultado em 10 de junho de 2022. Cópia arquivada em 10 de junho de 2022 
  30. «Justiça determina que governo reforce buscas a Bruno Pereira e Dom Phillips». Jornal Nacional. 8 de junho de 2022. Consultado em 10 de junho de 2022. Cópia arquivada em 9 de junho de 2022 
  31. João Gabriel (7 de junho de 2022). «Governo Bolsonaro é cobrado por omissão e minimiza desaparecimento enquanto anuncia ações»Subscrição paga é requerida. Folha de S.Paulo. Consultado em 10 de junho de 2022. Cópia arquivada em 8 de junho de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]